Os erros que os brasileiros mais fazem no Facebook

Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de Português

As redes sociais estão cheias de erros: erros pequenos, erros simples, erros desculpáveis, erros compreensíveis, erros que nem são notados, erros graves, erros escandalosos, erros que deturpam a mensagem,…

O principal problema do erro é constituir um entrave à comunicação. Erros podem tornar a mensagem pouco compreensível ou mesmo totalmente incompreensível em alguns casos.

É, então, muito importante conhecer e tentar evitar os principais erros de português feitos nas redes sociais.

A gente e agente

“Toda agente sabe isso.”
“Agente já falou com ela.”

Formas corretas:

  • Toda a gente sabe isso.
  • A gente falou com ela.

A gente é uma locução equivalente ao pronome pessoal reto nós (a gente vai = nós vamos). Agente indica uma pessoa que faz alguma coisa, como um agente secreto ou um agente da polícia.

Concordância com nós

“Nós é amigo de verdade.”
“Nós quer saber a verdade.”

Formas corretas:

  • Nós somos amigos de verdade.
  • Nós queremos saber a verdade.

Com o pronome pessoal nós, o verbo fica conjugado na 1.ª pessoa do plural: nós somos, nós queremos, nós vamos, nós fazemos,.. Apenas com a locução a gente o verbo fica conjugado na 3.ª pessoa do singular: a gente é, a gente quer, a gente vai, a gente faz,…

Para mim e para eu

“Isso é para mim ler?”
“Espera, para mim fazer isso antes.”

Formas corretas:

  • Isso é para eu ler?
  • Espera, para eu fazer isso antes.

A expressão para eu deverá ser usada quando assume a função de sujeito, sendo seguida de um verbo no infinitivo: para eu fazer, para eu escrever, para eu ouvir, para eu saber,... A expressão para mim deverá ser usada apenas quando assume a função de objeto indireto: Isso é para mim.

Ausência de pontuação, acentuação e letra maiúscula

“voce quer vir”
“a flavia ja saiu”
“a secretaria deu me o contato a tarde”

Formas corretas:

  • Você quer vir?
  • A Flávia já saiu.
  • A secretária deu-me o contato à tarde.

A falta de pontuação e acentuação cria um discurso ambíguo, com várias leituras possíveis. Assim, a mensagem que o emissor pretende transmitir pode não coincidir com a mensagem entendida pelo receptor. Não havendo a entonação própria da linguagem falada, a apreensão do sentido terá que ser feita principalmente pelo uso de pontuação.

A frase “ele viu a luz” poderá ser entendida de diversas formas:

  • Ele viu a luz.
  • Ele viu a luz?
  • Ele viu a Luz.
  • Ele viu a Luz?

Falta de concordância

“Obrigado a todos e tenha uma boa semana.”
“Os alunos não parecia entender a matéria.”
“Você traz teu skate?”
“Levo isso para tu?”

Formas corretas:

  • Obrigado a todos e tenham uma boa semana.
  • Os alunos não pareciam entender a matéria.
  • Você traz seu skate?
  • Levo isso para ti?

Como nas redes sociais é usada uma linguagem coloquial, mais descontraída e espontânea, muitas vezes em comunicação imediata, há um relaxamento em relação às normas gramaticais. Apesar disso, a utilização de um discurso com concordância confere clareza e objetividade à mensagem.

Por que, porque, porquê, por quê

“Não sei porque você fez isso.”
“Fui por que quis ir.”
“Porquê?”

Formas corretas:

  • Não sei por que você fez isso.
  • Fui porque quis ir.
  • Por quê?

Porque é utilizado em respostas e significa uma vez que. Por que é usado no meio das frases e pode significar por qual motivo e por qual razão ou apenas por qual e pelo qual. Por quê também significa por qual motivo e por qual razão, mas é utilizado apenas no final da oração, seguido de um sinal de pontuação. Porquê é um substantivo masculino, sinônimo de motivo.

A, à, há

“Isso aconteceu a dois dias.”
“Ele chega hoje a noite.”
“Muito obrigada à todos.”

Formas corretas:

  • Isso aconteceu há dois dias.
  • Ele chega hoje à noite.
  • Muito obrigada a todos.

Há é uma forma conjugada do verbo haver, usada para indicar que existe alguma coisa ou para indicar tempo passado. À é a contração da preposição a com o artigo definido feminino a, usada antes de algumas palavras femininas e de algumas expressões, bem como para introduzir um objeto indireto. A pode indicar apenas uma preposição ou apenas um artigo definido feminino.

Mau e mal

“Ela passou mau.”
“Ele é mal namorado.”

Formas corretas:

  • Ela passou mal.
  • Ele é mau namorado.

A forma mais fácil para entender a diferença entre mal e mau e usar essas duas palavras corretamente é pela oposição. Mal é o contrário de bem e mau é o contrário de bom.

Mais e mas

“Ela explicou mais eu não entendi.”
“Eu acreditei mais ele mentiu.”

Formas corretas:

  • Ela explicou mas eu não entendi.
  • Eu acreditei mas ele mentiu.

Mas é usado, principalmente, com sentido de porém, indicando uma oposição. Mais indica, maioritariamente, o aumento de quantidade ou intensidade.

Outros erros ortográficos

Além dos erros acima referidos, vários outros erros ortográficos são comumente realizados:

  • “afim de” (forma correta: a fim de);
  • “ancioso” (forma correta: ansioso);
  • “chingar” (forma correta: xingar);
  • “começei” (forma correta: comecei);
  • “compania” (forma correta: companhia);
  • “concerteza” (forma correta: com certeza);
  • “derrepente” (forma correta: de repente);
  • “dinovo” (forma correta: de novo);
  • “esteje” (forma correta: esteja);
  • “familha” (forma correta: família);
  • “fasso” (forma correta: faço);
  • “geito” (forma correta: jeito);
  • “mecher” (forma correta: mexer);
  • “menas” (forma correta: menos);
  • “nada haver” (forma correta: nada a ver);
  • “porisso” (forma correta: por isso);
  • “quiz” (forma correta: quis);
  • “seje” (forma correta: seja);
  • “voçê” (forma correta: você);

Os erros que os brasileiros mais fazem no Facebook

O erro é aceitável nas redes sociais?

Embora seja um local de comunicação mais informal, o erro pode e deve ser evitado, sendo perfeitamente possível a realização de um discurso em linguagem informal sem que haja erros gramaticais.

Para evitar os erros de português nas redes sociais:

  • Ao escrever, dê atenção às palavras e à estrutura da frase.
  • Releia o que escreveu antes de comentar ou postar.
  • Escreva frases curtas e simples, transmitindo poucas ideias de cada vez.
  • Tenha atenção à troca de palavras feita pelo corretor ortográfico.
  • Para palavras difíceis, consulte um dicionário on-line.
     

Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.

Outras dúvidas

Veja também