Os principais erros gramaticais do português

A gramática é um conjunto de regras e padrões linguísticos que define o uso correto da língua portuguesa, ou seja, a norma padrão. Falar e escrever com correção gramatical implica respeitar as diversas normas gramaticais.

O que é, então, um erro gramatical?

Um erro gramatical é qualquer falha no uso das regras gramaticais, podendo ocorrer nas diversas partes da gramática. Assim, existem diversos tipos de erros gramaticais:

  • erros de ortografia;
  • erros de pontuação;
  • erros de acentuação gráfica;
  • erros de sintaxe;
  • erros de concordância;
  • erros de regência;
  • erros de colocação pronominal;
  • erros de coesão e coerência textual;

Erros gramaticais mais comuns

Confirma os erros de português mais frequentes:

Uso dos porquês

  • Pedro veio porque quis.
  • Por que Pedro veio?
  • Pedro veio por quê?
  • Não sei o porquê de Pedro vir.

Porque é utilizado em respostas. É sinônimo de pois, uma vez que.
Por que é usado no início das perguntas (sinônimo de por qual motivo) ou no meio das frases (sinônimo de pelo qual)
Por quê é usado no fim das perguntas, seguido de um sinal de pontuação. É sinônimo de por qual motivo.
Porquê é usado substantivo masculino, sinônimo de motivo ou razão.

Uso da crase

  • Muito obrigada a todos!
  • Graças a Deus nada aconteceu!
  • Nós vamos a pé.

Não ocorre crase: Antes de substantivos masculinos (a prazo); Antes de verbos (a falar); Antes da maior parte dos pronomes (a todas); Em expressões com palavras repetidas (gota a gota); Antes de um numeral, exceto horas (a 20km).

  • Eu assisti à confusão entre os dois alunos.
  • Você está se estressando à toa.
  • O filme terminou à meia-noite.
  • Pus meu apartamento à venda.

Ocorre crase: Antes de palavras femininas, depois de palavras feitas com a regência da preposição a; Em diversas expressões adverbiais, locuções prepositivas e locuções conjuntivas (à noite); Antes da indicação exata e determinada de horas (às 23h); Em diversas expressões de modo ou circunstância, para transmitir clareza (lavar à mão).

Mas ou mais

  • Eu fui à festa, mas cheguei muito atrasada.
  • Quero mais bolo, por favor!

Mas exprime oposição. É sinônimo de porém e contudo.
Mais expressa aumento de quantidade ou intensidade.

Mau ou mal

  • Meu avô era um homem muito mau.
  • Meu avô está passando mal.

Mau é o contrário de bom (homem bom – homem mau).
Mal é o contrário de bem (passando bem – passando mal).

Aonde ou onde

  • Onde você está?
  • Onde fica esta loja?
  • Aonde você vai?
  • Aonde ele foi?

Onde não indica movimento. Refere-se a um lugar onde alguém ou algo está.
Aonde indica movimento. Refere-se a um lugar para onde alguém ou algo vai.

Para mim ou para eu

  • Ele comprou o livro para mim.
  • Ele comprou o livro para eu ler.

A expressão para mim assume a função de objeto indireto (trouxe para mim; olhou para mim; falou para mim).
A expressão para eu assume a função de sujeito (para eu trazer; para eu olhar; para eu falar).

Entre eu e você ou entre mim e você

  • Esse assunto é entre mim e você.
  • Ninguém se deve meter entre mim e você.

Após preposições são quase sempre utilizados pronomes pessoais oblíquos: mim, ti, ele, ela, nós, vós, eles, elas. Assumem a função de objeto indireto. As formas com pronomes pessoais retos estão erradas: entre eu e você, entre eu e ela, entre eu e eles,… Pronomes pessoais retos só são usados após preposições quando há indicação de ação.

Tem ou têm

  • O aluno tem prova amanhã.
  • Os alunos têm prova amanhã.

Tem, sem acento gráfico, indica a 3.ª pessoa do singular: ele tem, ela tem, você tem.
Têm, com acento circunflexo, indica a 3.ª pessoa do plural: eles têm, elas têm, vocês têm.

Uso do verbo haver

  • Houve problemas no departamento financeiro.
  • Havia funcionários reclamando sobre diversas situações.
  • Há informações contraditórias.
  • Haverá investigações para esclarecer o ocorrido.

O verbo haver é um verbo impessoal, sem sujeito, quando tem o sentido de existir. Assim, deverá ser conjugado apenas na 3.ª pessoa do singular: há um problema, há vários problemas.

De mais ou demais

  • Isso é comida de mais! Ficarei muito cheio!
  • Comi demais! Fiquei muito cheio!

De mais, escrito de forma separada, expressa quantidade. É sinônimo de a mais.
Demais, escrito de forma junta, expressa intensidade. É sinônimo de muito, em excesso, em exagero.

Menos ou menas

  • Precisamos de mais ajuda e menos comentários.
  • Precisamos de mais ajuda e menos críticas.

Menos é uma palavra invariável, permanecendo sempre igual: menos frio, menos medos, menos comida, menos pessoas. A palavra menas não existe.

Meia ou meio

  • Não quero ir, estou meio cansado.
  • Não quero ir, estou meio cansada.

Enquanto advérbio, meio é invariável. É sinônimo de um pouco e mais ou menos.

  • Gastei meio pacote de leite nessa sobremesa.
  • Gastei meia garrafa de leite nessa sobremesa.

Enquanto numeral fracionário e adjetivo, meio concorda em gênero e número com a unidade que está sendo dividida: meio copo, meia taça.

A gente ou agente

  • A gente quer uma educação melhor!
  • O agente da polícia prendeu o suspeito do crime.

A gente, escrito separado, equivale ao pronome pessoal nós: a gente quer = nós queremos.
Agente, escrito junto, é um substantivo comum. Indica uma pessoa que faz algo, como um agente da polícia, um agente secreto, um agente imobiliário,…

erros de português

Como evitar os erros gramaticais?

Para evitar erros gramaticais…

  • Leia muito, de forma frequente.
  • Consulte dicionários e gramáticas regularmente.
  • Fale e escreva com calma e atenção.
  • Reflita sobre o uso da língua portuguesa.

Outras dúvidas

Veja também