Uso de e/ou

Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de Português

O uso de e/ou, embora criticado por muitos, está correto. As conjunções e/ou são usadas para indicar a possibilidade de duas situações ou elementos distintos poderem ser considerados separadamente ou em conjunto. 

Exemplo com e/ou: As candidaturas poderão ser orais e/ou escritas.

Interpretação da oração:

  1. As candidaturas poderão ser orais.
  2. As candidaturas poderão ser escritas.
  3. As candidaturas poderão ser simultaneamente orais e escritas.

Assim, as conjunções e/ou expressam ao mesmo tempo uma ideia de alternância e de adição, apresentando três opções distintas.

Uso errado de e/ou

O uso de e/ou é errado quando os elementos apresentados se excluem, não se podendo optar pelos dois elementos ao mesmo tempo. Nesses casos deverá ser utilizada apenas a conjunção ou, com valor exclusivo, indicando ou um ou outro.

Uso errado de e/ou: Os visitantes podem escolher um prato de carne e/ou peixe. 
Forma correta com a conjunção ou: Os visitantes podem escolher um prato de carne ou peixe.

É também errado o uso de e/ou quando se pretende transmitir apenas a soma dos elementos, devendo nesses casos ser utilizada apenas a conjunção e.

Uso errado de e/ou: Os candidatos deverão enviar o formulário preenchido corretamente e/ou o certificado de habilitações.
Forma correta com a conjunção e: Os candidatos deverão enviar o formulário preenchido corretamente e o certificado de habilitações.

A barra oblíqua

O sinal gráfico utilizado nas conjunções e/ou é a barra oblíqua. Indica inclusão, quando utilizada na separação das conjunções e/ou.

Exemplo indicando inclusão: As avaliações serão feitas com base nas notas dos testes e/ou trabalhos.

Quando usada fora das conjunções e/ou, indica disjunção e exclusão, podendo ser substituída pela conjunção ou.

Exemplo indicando exclusão: Os temas para escolha são: igualdade de gênero / políticas educativas / discriminação positiva.


Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.

Outras dúvidas

Veja também