Tranquilizar ou tranquilisar

Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de Português

A forma correta de escrita da palavra é tranquilizar. A palavra tranquilisar está errada. Devemos utilizar o verbo tranquilizar sempre que quisermos referir o ato de se tornar tranquilo, ou seja, serenar, pacificar, acalmar, sossegar.

Exemplos:
Suas palavras não me conseguiram tranquilizar.
O presidente disse que não haveria riscos para tranquilizar a população.
É necessário tranquilizar a família de todos os que estiveram envolvidos neste acidente.

A palavra tranquilizar é formada a partir de derivação sufixal, ou seja, é acrescentado um sufixo a uma palavra já existente, alterando o sentido da mesma. Neste caso, temos a palavra tranquilo mais o sufixo verbal – izar que, neste caso, forma um verbo a partir de um adjetivo.

Também com z deverão ser escritas todas as palavras cognatas de tranquilizar, bem como todas as formas conjugadas deste verbo.

Exemplos:
Palavras da mesma família: tranquilizar, tranquilizador, tranquilizante, tranquilizável,…
Verbo tranquilizar – Pretérito perfeito do indicativo:
(Eu) tranquilizei
(Tu) tranquilizaste
(Ele) tranquilizou
(Nós) tranquilizamos
(Vós) tranquilizastes
(Eles) tranquilizaram

Fique sabendo mais!
Segundo o Novo Acordo Ortográfico, que entrou em vigor em janeiro de 2009, o trema foi abolido de todas as palavras portuguesas e aportuguesadas. Mantém-se apenas em palavras derivadas de nomes próprios estrangeiros, como hübneriano (de Hübner), mülleriano (de Müller), …

Antes do acordo: tranqüilizar, freqüente, cinqüenta, conseqüência, seqüestro, lingüiça, pingüim, tranqüilo, agüentar, …
Depois do acordo: tranquilizar, frequente, cinquenta, consequência, sequestro, linguiça, pinguim, tranquilo, aguentar, …

No português do Brasil, o trema era utilizado na vogal u nas sílabas que, qui, gue e gui para destacar seu som, indicando que a vogal deveria ser pronunciada.

Palavra relacionada: tranquilizar.


Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.

Outras dúvidas

Veja também