Passível ou possível

Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de Português

As palavras passível e possível existem na língua portuguesa e estão corretas. Porém, seus significados são diferentes e devem ser usadas em situações diferentes. Possível se refere a alguma coisa que pode existir, que se pode realizar, que pode ser feito, que pode ser verdadeira. Passível se refere a alguma coisa ou alguém que está sujeito a sensações, alegrias, tristezas, penas e sanções.

A palavra possível tem sua origem na palavra em latim possibile, sendo assim escrita com o na primeira sílaba. Possível é sinônimo de factível, admissível, concebível, permitido, praticável, verossímil, entre outros.

Exemplos:
Não vejo solução possível para este impasse.
É possível utilizar esta ferramenta agora?
Já temos muita comida. Tragam o menos possível.

A palavra passível tem sua origem na palavra em latim passibile, sendo assim escrita com a na primeira sílaba. Passível é sinônimo de suscetível, sujeito, vulnerável.

Exemplos:
Este contrato é passível de cancelamento.
O incumprimento da lei é, em muitos países, passível de pena de morte.
Todas as tarefas realizadas serão passíveis de verificação.

As palavras passível e possível são adjetivos de dois gêneros, apresentando a mesma forma, quer no gênero feminino, quer no gênero masculino. Na língua portuguesa, os adjetivos terminados em –l são adjetivos uniformes, apresentando a mesma forma no masculino e no feminino: passível, possível, pluvial, fluvial, amável, azul, fiel, cordial, banal,…

As palavras passível e possível são escritas de forma parecida e são pronunciadas de forma parecida, mas os seus significados são diferentes. A este tipo de palavras chamamos palavras parônimas.

Na língua portuguesa, existem diversas palavras parônimas: passível/possível, preposição/proposição, retificar/ratificar, cumprimento/comprimento, precedente/procedente, entre outras.

Palavras relacionadas: passível, possível.


Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.

Outras dúvidas