Espiar ou expiar

Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de Português

Estas duas palavras existem na língua portuguesa e estão corretas. Porém, seus significados são diferentes e devem ser usadas em situações diferentes. A palavra espiar se refere ao ato de observar de forma atenta e secreta. A palavra expiar se refere ao ato de redimir seus atos, de pagar por seus pecados.

O verbo espiar tem sua origem no gótico spaíhôn e se refere ao ato de olhar e observar atentamente alguma coisa ou alguém para obter informações, sem ser visto. Pode significar também, numa linguagem náutica, o ato de mover o navio com espias.

Exemplos:
Saia da janela e pare de espiar os outros.
Eu vou espiar o que ela está fazendo pelo buraco da fechadura.
Você está espiando meu trabalho?

O verbo expiar tem sua origem no latim expiare e se refere ao ato de sofrer as consequências dos seus atos, redimindo crimes, faltas e pecados que tenham sido cometidos.

Exemplos:
Eu farei o que for preciso para expiar meus próprios pecados.
Aquele homem está expiando uma pena de 24 meses na prisão.

As palavras espiar e expiar apresentam a mesma fonética, ou seja, são pronunciadas de forma igual, mas seus significados e escritas são diferentes. A este tipo de palavras chamamos palavras homófonas.

Na língua portuguesa, existem diversas palavras homófonas: expiar/espiar, acessório/assessório, acento/assento, conserto/concerto, cela/sela, sinto/cinto, cozer/coser,…

Palavras relacionadas: espiar, expiar.


Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.

Outras dúvidas

Veja também