De que ou que

Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de Português

De que necessito, de que preciso, de que estou certo, de que tenho a impressão, de que estou isento e de que estou desconfiado são alguns exemplos de verbos, substantivos e adjetivos feitos com regência da preposição de.

Embora seja comum a omissão da preposição de, sendo já essa omissão aceita pelos falantes da língua, a preposição de deverá estar presente nessas palavras, segundo as regras da regência verbal e nominal, introduzindo um complemento preposicionado.

Há, contudo, divergência entre os gramáticos e estudiosos da língua. Alguns autores defendem que a preposição deverá ser utilizada sempre que se introduz um complemento indireto. Outros afirmam que a sua obrigatoriedade só existe quando ocorrem em simultâneo um complemento direto e um indireto. Outros ainda afirmam que a omissão da preposição já se encontra consagrada pelo uso, sendo igualmente correto e aceitável a sua omissão.

Exemplos de verbos com regência da preposição de:

  • Precisar: Meu irmão me dará a ajuda de que eu preciso.
  • Necessitar: Não consigo fazer o repouso de que necessito.
  • Gostar: Você sabe do que eu gostaria? De que você me deixasse em paz!
  • Lembrar: Você não vai acreditar na história de que eu me fui lembrar.
  • Esquecer: Foi essa a informação de que você se esqueceu de fornecer?
  • Informar: Fui informado de que os acontecimentos não traziam qualquer situação de risco.
  • Avisar: Os alunos foram avisados de que os professores estavam em greve.
  • Abdicar: Os bens de que eu abdiquei serão entregues a meus filhos.
  • Desdenhar: A religião de que durante tantos anos eu desdenhei é agora minha ajuda nas horas difíceis.

Exemplos de substantivos com regência da preposição de:

  • Certeza: Tenho a certeza de que estacionei aqui meu carro.
  • Impressão: Nós temos a impressão de que você nos está enganando.
  • Medo: Meus pais têm medo de que seja necessária nova operação à perna do meu irmão.
  • Compreensão: Finalmente tive a compreensão de que tudo é incerto.
  • Urgência: Tenho urgência de que isso seja resolvido.

Exemplos de adjetivos com regência da preposição de:

  • Certo: Os professores estão certos de que estudar assim tanto é contraproducente.
  • Desconfiado: Estou desconfiado de que essa história não é verdadeira.
  • Acusado: As infâmias de que fui acusado são ultrajantes!
  • Carente: Você sabe do que estou carente? De sua presença…
  • Isento: Estas são as taxas de que estou isento.
  • Merecedor: São estas as regalias de que vocês são merecedores!

Atenção!
Existem vários verbos, substantivos e adjetivos que não pedem a preposição de, sendo usado unicamente o pronome que.

Exemplos:

  • Pedir: Meu irmão me dará a ajuda que eu pedi.
  • Querer: Você sabe o que eu quero? Que você me deixe em paz!
  • Ouvir: Ouvi que os acontecimentos não trazem qualquer situação de risco.

Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.

Outras dúvidas