Dá-me, dai-me ou dê-me

Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de Português

As três opções estão corretas, sendo formas conjugadas do verbo dar no imperativo afirmativo. Referem-se, contudo, a diferentes pessoas verbais, indicando diferentes formas de tratamento.

  • Dá indica a 2.ª pessoa do singular: dá tu.
  • Dê indica a 3.ª pessoa do singular: dê você.
  • Dai indica a 2.ª pessoa do plural: dai vós.

Verbo dar - Imperativo afirmativo:
--- (eu)
dá (tu)
dê (você)
demos (nós)
dai (vós)
deem (vocês)

As formas verbais dá-me, dai-me e dê-me estão conjugadas com o pronome pessoal oblíquo átono me em posição enclítica, ou seja, após o verbo. Isso acontece porque, segundo as regras da colocação pronominal, as orações nunca devem ser iniciadas com pronomes oblíquos.

Tratamento com tu: Dá-me água, por favor.
Tratamento com você: Dê-me água, por favor.
Tratamento com vós: Dai-me água, por favor.

Quando usar dê-me?

A forma dê-me, indicando tratamento na 3.ª pessoa do singular, deverá ser a forma mais utilizada no português falado no Brasil. Isso acontece porque as pessoas se tratam habitualmente por você.

Exemplos com dê-me:

  • Dê-me licença, por favor.
  • Dê-me cinco minutos do seu tempo.
  • Dê-me um motivo para ficar.
  • Dê-me mais uma chance.

No dia a dia dos falantes é habitual o uso da próclise, ou seja, da colocação pronominal antes do verbo. Contudo, a próclise está, neste caso, errada do ponto de vista gramatical por introduzir a oração com um pronome oblíquo:

  • Me dê licença, por favor.
  • Me dê cinco minutos do seu tempo.
  • Me dê um motivo para ficar.
  • Me dê mais uma chance.

Quando usar dá-me?

A forma dá-me, indicando tratamento na 2.ª pessoa do singular, deverá ser a forma utilizada quando as pessoas se tratam por tu. Isso acontece habitualmente no português falado em Portugal.

Exemplos com dá-me:

  • Dá-me licença, por favor.
  • Dá-me cinco minutos do teu tempo.
  • Dá-me um motivo para ficar.
  • Dá-me mais uma chance.

No português falado no Brasil é recorrente o uso do imperativo na 2.ª pessoa do singular (tu), mesmo quando o restante tratamento é feito na 3.ª pessoa do singular (você). Há, assim, uma falta de uniformidade e coesão no discurso:

  • Me dá licença, por favor.
  • Me dá cinco minutos do teu tempo.
  • Me dá um motivo para ficar.
  • Me dá mais uma chance.

Quando usar dai-me?

A forma verbal dai-me é a forma correta para um tratamento com a 2.ª pessoa do plural. O uso do vós está, contudo, em grande desuso. O uso da forma verbal dai-me entre os falantes ocorre em expressões generalizadas de uma referência a Deus, ao Senhor.

Exemplos com dai-me:

  • Dai-me paciência!
  • Dai-me paciência, Senhor!
  • Dai-me paciência, Deus!
  • Dai-me força!
  • Dai-me força, Senhor!
  • Dai-me força, Deus!
  • Dai-me sabedoria!
  • Dai-me sabedoria, Senhor!
  • Dai-me sabedoria, Deus!
     

Palavra relacionada: dar.


Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.

Outras dúvidas

Veja também

Dá ou dar Dá-me, dai-me ou dê-meDado as ou dadas as