Contra proposta ou contraproposta

Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de Português

A forma correta de escrita da palavra é contraproposta, escrita de forma junta, sem hífen. As palavras contra proposta e contra-proposta estão erradas.

O substantivo feminino contraproposta indica uma proposta alternativa, que vem substituir outra proposta já existente que não foi aprovada.

Exemplos com contraproposta

  • A contraproposta foi aceita por todos na reunião.
  • Apresentarei uma contraproposta em breve.
  • Não há qualquer contraproposta que possa substituir esta proposta.

Contraproposta e o Acordo Ortográfico

Contraproposta é uma palavra formada a partir de derivação prefixal, ou seja, é acrescentado um prefixo a uma palavra já existente, alterando o seu sentido: contra- + proposta = contraproposta. O prefixo contra- é de origem latina e significa uma negação ou um ato conjunto.

O atual Acordo Ortográfico trouxe diversas alterações às regras de hifenização e prefixação das palavras.

Quando escrever com hífen?

O hífen é utilizado quando o prefixo termina com a mesma letra que começa a segunda palavra ou quando a segunda palavra começa com h.

Exemplos com hífen:

  • contra-ataque;
  • contra-atacante;
  • contra-habitual;
  • contra-harmônico;

Quando escrever sem hífen?

Em todas as outras situações, o prefixo é escrito junto à palavra já existente. Salienta-se que nas formações em que o prefixo termina em vogal e a segunda palavra começa com as consoantes r ou s, estas consoantes deverão ser duplicadas.

Exemplos sem hífen:

  • contraproposta;
  • contraindicação;
  • contragolpe;
  • contrabaixo;

Exemplos sem hífen com ss e rr:

  • contrassenso;
  • contrassugerir;
  • contrarracional;
  • contrarreforma;
  • ...

Nota: Existe também o verbo contrapropor, que significa o ato de apresentar uma contraproposta.

Palavra relacionada: contraproposta.


Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.

Outras dúvidas

Veja também