À toa ou à-toa

Antes da entrada em vigor do Novo Acordo Ortográfico, as duas formas estavam corretas: à toa era uma locução adverbial e à-toa um adjetivo, sendo usadas em situações diferentes. Com a entrada em vigor do Novo Acordo Ortográfico, passou a haver uma discordância entre diversos dicionários e gramáticos relativamente à eliminação ou manutenção do hífen em à-toa.

À-toa, com hífen, está registrada em diversos dicionários, mas não está reconhecida no vocabulário ortográfico da Academia Brasileira de Letras, que atesta que à toa, sem hífen, é ao mesmo tempo um advérbio e um adjetivo, tendo o hífen do adjetivo sido eliminado com as alterações trazidas pelo Novo Acordo Ortográfico. Assim, podemos considerar que à toa, sem hífen, é a forma correta de escrita da locução. 

À toa, sem hífen, é uma locução adverbial que significa ao acaso, inutilmente, sem fundamento, impensadamente, sem motivo. Esta locução, já escrita sem hífen antes do Novo Acordo Ortográfico, é muito utilizada para indicar uma pessoa que está não está fazendo nada, que não tem nada para fazer. Chamamos de locução adverbial duas ou mais palavras que juntas atuam como um advérbio, alterando o sentido do verbo.

Exemplos

  • Você pode vir agora mesmo porque eu estou à toa aqui em casa. 
  • Aquele menino anda à toa, sem saber o que fazer. 
  • Pare! Você está se irritando à toa. 

À toa, com hífen antes do Novo Acordo Ortográfico, é um adjetivo de dois gêneros e dois números, sendo invariável, ou seja, é usada sempre a mesma forma quer no feminino, no masculino, no plural ou no singular. Atualmente esta locução adjetiva deverá ser escrita sem hífen. Refere-se a alguma coisa ou a uma pessoa irrefletida, apressada, desprezível, desocupada, inútil. 

Exemplos

  • Não gosto nada dele, é mesmo um homem à toa. 
  • Sua opinião à toa provocou grandes confusões. 
  • Não se preocupe mais com este problema à toa.

Fique sabendo mais!
A supressão do hífen na locução adjetiva à toa ocorre porque, segundo o Novo Acordo Ortográfico, não deverá ser utilizado hífen nas locuções substantivas, adjetivas, pronominais, adverbiais, prepositivas ou conjuncionais. 
Exemplos: dia a dia, fim de semana, sala de jantar, cão de guarda, cor de vinho, café com leite, à toa, … 

Serão exceções a esta regra algumas locuções consagradas pelo uso, com significado próprio: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia, ao deus-dará e à queima-roupa. 

Palavra Relacionada: toa.

Dúvidas Relacionadas